Orientações aos Pacientes

Otite de Repetição na Infância

Pela própria conformação do sistema de drenagem do ouvido da criança e por sua imaturidade imune, é comum algumas crianças sofrerem com otites de repetição.

Geralmente observamos dois picos durante a infância: dos 6 aos 24 meses e dos 4 aos 7 anos.

Os principais fatores de risco para a ocorrência de otite média aguda de repetição são:

  • Frequentar berçário/creche: quando há infecção, deve-se afastar a criança da creche;
  • Tabagismo passivo: se alguém fuma em casa, mesmo que não fume perto da criança, deve parar já! Pois só o cheiro impregnado na roupa pode inflamar a mucosa respiratória da criança;
  • Mamar deitado: não dê o "tetê"/mamadeira quando a criança estiver deitada, pois o leite/suco acaba indo para o ouvido (por conta da conformação do tubinho que conecta o nariz ao ouvido da criança) e pode infectar. Dê a mamadeira para a criança sempre sentadinha, assim não há o risco desse conteúdo ir parar na orelha.

Outras condições também merecem ser investigadas como:

  • Ter adenoide grande: nesses casos, ela pode tampar a abertura da drenagem do ouvido para o nariz;
  • Deficiências na imunidade da criança.

Um fator de proteção para otite de repetição é o aleitamento materno. Observamos, sim, um aumento da ocorrência de otites médias agudas em pacientes que não receberam aleitamento (que deve ser exclusivo até os 6 meses de vida).

Não deixe de realizar as consultas periódicas com o pediatra de seu filho. Na dúvida, solicite um encaminhamento para o otorrinolaringologista!

05/05/2020

Refluxo laringofaríngeo: orientações

Muitas das causas de refluxo são hábitos alimentares e estilos de vida errados.

Para melhorar um pouquinho os sintomas, além do tratamento individual prescrito pelo médico, recomendamos:

  • Evitar deitar após refeições e evitar a ingestão de água abundante à noite;
  • Manter a cabeceira elevada ao deitar (colocar uns 2 travesseiros);
  • Tentar diminuir o peso (um alto índice de massa corpórea acaba pressionando o estômago e piora a ocorrência do refluxo);
  • Tentar ter uma dieta pobre em gordura (pois isso retarda o esvaziamento gástrico e piora o refluxo);
  • Tentar realizar refeições de pequeno volume ao longo do dia e evitar ficar em jejum por muito tempo;
  • Procurar evitar alimentos como: chocolate, menta, as frutas cítricas, cafeína (presente não só no café, mas também em chás como mate, preto e verde), refrigerantes e bebidas gaseificadas.

O cigarro também piora a ocorrência do refluxo! Mais um motivo para abandoná-lo!

07/04/2020

CoViD19: A importância do isolamento social

E o que podemos fazer para evitar que os hospitais fiquem saturados?

Devemos evitar o PICO DE CASOS da doença enquanto ainda não há um tratamento específico.

Algumas medidas (chamadas "não farmacológicas") que ajudam a evitar esse pico de casos incluem:

  • Isolamento social de TODOS os indivíduos (não apenas os sintomáticos)
  • Medidas restritivas de circulação
  • Fechamento de escolas, universidades, estabelecimentos comerciais
  • Isolamento dos indivíduos de maior risco
  • Isolamento/quarentena domiciliar dos casos (quando apresentarem quadros leves)

(Em outras palavras: ficar em casa)

Dessa forma, evita-se ultrapassar a capacidade do atendimento dos serviços de saúde e, com isso, oferecer um tratamento de qualidade aos pacientes internados.

Dessas medidas não farmacológicas, não sabemos ainda de maneira clara, infelizmente, quais os efeitos "adversos" para nossa sociedade e economia. As autoridades sanitárias irão ajustando essas medidas de acordo com a demanda dos leitos de terapia intensiva e conforme haja um controle paulatino desta doença.

Por enquanto, a orientação se mantém: continuem em casa!

27/03/2020

CoViD19: Casos Graves

Falamos nos últimos posts que alguns pacientes apresentam a forma grave de CoViD19.

E quais/quem são esses pacientes?

Em sua maioria, os indivíduos que apresentaram síndrome respiratória aguda grave (falta de ar/dificuldade para respirar) são: idosos, pacientes com doenças crônicas (como diabetes, pressão alta, doenças renais, asma etc) e pacientes imunossuprimidos (que realizam algum tratamento oncológicos, transplantados etc). Esses pacientes (mas não só eles!!!) podem manifestar a forma grave da doença e, nesses casos, precisam de terapia intensiva e ventilação mecânica.

O problema é que o sistema de saúde, não só do Brasil, mas de todo o mundo, não está preparado para receber um número tão alto de enfermos graves com necessidade de ventilação mecânica.

Com o sistema saturado, o hospital torna-se incapaz de oferecer assistência médica com qualidade para todos.

Nesses casos, indivíduos que, em condições normais do funcionamento dos sistemas de saúde, sobreviveriam à doença poderão ter outro desfecho simplesmente porque... não há leitos, respiradores e vagas de UTI suficientes para atender uma pandemia dessa monta!!!

Continuem em casa!

27/03/2020

CoViD19 e anosmia: tem relação?

Falando um pouco mais de um dos sintomas que pacientes com a doença CoViD19 podem apresentar.

A anosmia, ou perda do olfato, tem relação com a maioria das infecções virais de vias aéreas superiores (é difícil os receptores olfatórios se ligarem às partículas de odor quando está tudo inflamado, inchado e cheio de secreção), apresentando recuperação espontânea na maioria dos casos.

Nos pacientes que apresentam CoViD19, há algumas evidências da ocorrência de anosmia, mesmo na ausência de outros sintomas nasais (obstrução/congestão nasal, nariz tampado ou escorrendo), servindo de alerta quanto à possibilidade da anosmia ser um sintoma de alarme para o CoViD19.

Mesmo ainda sem uma evidência robusta, a Academia Brasileira de Rinologia (ABR) orienta que a presença de anosmia súbita (com ou sem perda do paladar e mesmo na ausência da obstrução nasal concomitante) possa sugerir CoViD19. Nesses casos, a ABR sugere ainda orientar o paciente a realizar isolamento domiciliar por 14 dias e aguardar a resolução da anosmia (que parece ser temporária na maioria dos casos).

Continuem em casa!

26/03/2020

CoViD19: Tempo de Incubação e Sintomas

Incubação:

Já vimos como ocorre a transmissão do vírus SARSCov2, que o danado sobrevive algum tempo em superfícies, mas, uma vez infectado, quanto tempo até manifestar os sintomas?

O período de incubação, isto é, o tempo desde a infecção até o aparecimento dos sintomas é, em MÉDIA, 5 dias (podendo variar de 1 a 7 dias e podendo chegar até 3 semanas de incubação).

Manifestação clínica:

A manifestação clínica do Covid19 é muito semelhante a uma síndrome gripal causada por outros vírus respiratórios, podendo incluir:

  • Febre
  • Tosse seca
  • Dor de cabeça
  • Dor muscular
  • Dor de garganta
  • Mais raramente, sintomas gastrointestinais (como diarreia e vômitos).

ATENÇÃO!!!! NEM TODOS vão ter esses sintomas: eles estão presentem em boa parte dos casos, mas nem sempre estarão presentes em todos os casos.

Em alguns casos, há a ocorrência de síndrome respiratória aguda grave, quando, em linhas gerais, o paciente começa a apresentar falta de ar e dificuldade para respirar. Nesses casos, o paciente precisa procurar algum hospital com serviço de emergência.

Continuem em casa!

26/03/2020

O vírus SARSCoV2 permanece quanto tempo em superfícies?

O vírus sobrevive em superfícies? Por quanto tempo?

Um estudo publicado dia 17 de março de 2020 no The New England Journal of Medicine mostra que:

O SARSCov2 (o vírus do coronavírus) permanece viável por até:

  • 72h em superfícies de plásticos e objetos de aço,
  • 24h em cartolina,
  • 8h em superfícies de cobre.

Referências: The New England Journal of Medicina, Aerosol and Surface Stability of SARS-CoV-2 as Compared with SARS-CoV-1, DOI: 10.1056/NEJMc2004973

Com base nesse artigo e pensando que a transmissão do vírus também ocorre na forma de fômites, reforço a importância de higienização de superfícies (vide post "Álcool gel e higiene na pandemia") e da lavagem de mãos!!!

Continuem em casa!

26/03/2020

CoVid19: Transmissão

Transmissão e Orientações para minimizar contágio:

A principal forma de transmissão é por GOTÍCULAS RESPIRATÓRIAS.

Ao falar, ao tossir, ao espirrar, nós lançamos essas gotículas ao ambiente. Elas têm um peso molecular e, por gravidade, tendem a cair/se depositar nas superfícies.

Nesse sentido, as pessoas que se encontram num raio de aproximadamente 1 metro de distância de alguém, correm o risco de se infectar, pois essas gotículas alcançam a face do interlocutor. Numa distância maior que 1 metro, há tempo dessas gotículas caírem por gravidade antes de acertarem a face do outro.

Outra maneira de transmissão é através de FÔMITES, ou seja, objetos que estejam contaminados com vírus.

Nesse caso, imaginemos: temos uma pessoa infectada. Se essa pessoa cobrir a boca com a mão ao tossir e após colocar a mão, inadvertidamente, na prateleira do mercado, na maçaneta da porta, no portão da casa ou do prédio, no registro da torneira, no cano de apoio do ônibus ou do metro, no mouse do computador, ela estará contaminando esses objetos com o vírus.

Caso venha outra pessoa, encoste a mão nesses locais e, em seguida, leve a mão na bocal/olhos/nariz, ela poderá, sim, se infectar com o vírus.

Então, recomendamos:

  • Manter uma distância de pelo menos 1,5 metro das pessoas;
  • Evitar levar as mãos na boca/olhos/nariz;
  • Higienizar mãos (com água e sabão já é suficiente, desde que por 40 segundos, podendo usar álcool gel 70%, como dito no último post) e superfícies com produtos multiuso.

E os indivíduos assintomáticos? Podem transmitir o vírus?

Já há, nesse momento, evidências clínicas para concluir que a resposta é SIM, ou seja, não necessariamente o paciente precisa estar apresentando os sintomas para poder transmitir o vírus.

Por isso, continuem em casa!

25/03/2020

SARSCov2 e Covid19: qual a diferença?

Afinal, coronavírus é o vírus ou podemos usar o nome para designar a doença?

Os coronavírus englobam alguns tipos de vírus já conhecidos e que causam resfriados comuns. A esse NOVO TIPO de coronavírus dá-se o nome de SARS CoV2.

CoViD19 é o nome da DOENÇA (do inglês coronavirus disease; 19 em função da sua primeira identificação ocorrer no final do ano de 2019).

Meus próximos posts serão destinados a algumas informações do vírus SARSCov2 e da doença Covid19.

Continuem em casa e fiquem ligados!

25/03/2020

Álcool gel e higiene na pandemia

Todos estão falando do álcool a 70%. Mas, pela lógica, então o álcool a 96% é mais efetivo, certo?

ERRADO. Álcool a 90% evapora muito rápido, então não dá tempo de efetivamente matar o germe, seja vírus ou bactéria, pois antes dele ter essa ação... Ele já evaporou!

Já o álcool abaixo de 70% demora mais para evaporar, mas, por ter mais água, não mata o germe.

Por isso a preferência para o álcool a 70%, pois demora o tempo suficiente para matar o germe antes dele evaporar por completo.

E o álcool em gel?

O álcool em gel a 70% é dermatologicamente testado e pode ser usada na pele com segurança, sem ressecá-la.

Ele pode (e deve!) ser usado quando não dispomos de água e sabão para fazer a higienização das mãos (convenhamos, é bem prático abrir a embalagenzinha que fica pendurada na bolsa ou dentro do carro quando estamos na rua e não temos onde lavar as mãos).

Mas em casa, podemos poupar o álcool em gel 70%: para higiene das mãos, use água e sabão/sabonete/detergente. Já é mais que suficiente.

Para a limpeza de chão, superfícies de mesa e objetos como chave de casa, também podemos poupar o álcool gel 70%: podemos usar qualquer desinfetante/produto de limpeza que já fazíamos uso antes (como Veja, Pinho Sol, Lysoform, água sanitária, Ajax, enfim, qualquer um serve). Para a limpeza de objetos eletrônicos como computadores e celulares (ou aqueles mais sensíveis), melhor usar o álcool líquido 70% aos multiusos.

Continuem em casa!

23/03/2020

Hipertrofia de adenoide

A adenoide é um órgão linfático assim como as amígdalas. Ela é de consistência amolecida (meio "esponjosa") e fica na parede atrás do nariz. Quando temos um aumento da adenoide por obstrução mecânica, pode haver uma dificuldade de se respirar pelo nariz.

Além da obstrução nasal e suas consequências (como roncos e respiração ruidosa, respiração oral de suplência, alteração de posicionamento de língua, de crescimento de face e de posição de dentes), a adenoide pode acumular secreção (levando a aquele nariz sempre escorrendo) e levar a infecções de repetição.

Mais que isso, além de tampar o nariz por dentro, a adenoide aumentada pode ocluir também a abertura do tubo que conecta o nariz ao ouvido (chamada tuba auditiva, que tem a abertura bem ao lado de onde fica a adenoide), dificultando a drenagem do ouvido e, da mesma forma, podendo levar a infecções de repetição também dessa região.

É importante fazer a avaliação com a nasofibrolaringoscopia para dimensionar o tamanho da adenoide. De modo geral, o tratamento inicial é clínico, mesmo porque esse tecido tende a involuir com o crescimento da criança; em outros casos, a resolução cirúrgica se faz importante.

Apesar dessas orientações, nada substitui a consulta médica! Procure seu otorrinolaringologista!

10/03/2020

Disfonia

Disfonia é sinônimo de "rouquidão", ou seja, mudança do tom/timbre da voz.

Pode ocorrer por diversas causas, desde lesões das pregas vocais, infecções virais ou bacterianas, e até por abuso de uso da voz. Por exemplo, quando vamos num estádio de futebol e torcemos loucamente pelo nosso time, ou quando vamos numa festa animada, ou no bloquinho de carnaval, ou quando falamos muito alto estamos abusando da nossa voz. As pregas vocais, que são bem delicadas e elásticas, sofrem com isso, coitadinhas! Ficam inchadas, um pouco rígidas e vermelhas, por isso a voz acaba saindo rouca e mais "suja".

Outros fatores que também influenciam na disfonia são hábitos e vícios como tabagismo e etilismo e algumas etiologias como refluxo laringofaríngeo.

E qual o tratamento da disfonia? Claro que é necessário antes investigar e tratar a causa do problema (investigar e tratar lesões /infecções/inflamação, parar com o cigarro, tratar o refluxo, etc.) mas, além disso, é importante ter uma boa hidratação durante o dia e fazer repouso vocal absoluto (absoluto mesmo, não falar nem "u-hum", "hã-hã") para não forçar as pregas vocais e permitir a sua recuperação.

Uma boa analogia é: se você torceu o pé, você não vai pisar em cima do pé torcido, certo? Então, se as pregas vocais estão inflamadas, também não podemos forçá-las usando a voz.

Apesar dessas orientações nada substitui a consulta médica!

06/03/2020

Polipose nasal

Pólipos nasais são um crescimento anormal e desordenado da mucosa do nariz e dos seios da face que pode ou não estar associado com um quadro alérgico ou de asma. Geralmente costumam ter uma coloração mais clara e um aspecto mais gelatinoso.

Eles podem interferir na drenagem dos seios da face e causar quadros de rinossinusite, dor de cabeça, diminuição do olfato, obstrução nasal, secreção e até sangramentos nasais.

Às vezes eles crescem tanto que até dá para ver pela abertura das narinas.

O tratamento pode ser clínico, com spray de corticoide, lavagem nasal abundante e antinflamatórios orais, ou cirúrgico nos casos mais extensos e extremos.

De qualquer forma, é impreterível o acompanhamento com o otorrinolaringologista para o controle e o acompanhamento da doença!

28/02/2020

Lobuloplastia

O uso de brincos muito pesados, alargadores ou usar brincos de argolas que sempre engancham na roupa ou bolsa pode rasgar ou deformar o lóbulo da orelha.

Quando há interesse, a correção do defeito é feita com a lobuloplastia, um procedimento simples, com anestesia local e perfeitamente possível de realizar no consultório.

Até a Dra. Livia já precisou fazer uma lobuloplastia!

Você tem lóbulo rasgado? Fale com seu otorrino e tire suas dúvidas!

24/02/2020

Orientações para o carnaval

Allah-lá-ô, ô ô ô ô ô ô

Quem aqui vai pular no bloquinhoooo???

Para a folia durar todos os dias do carnaval, vale a pena reforçar algumas recomendações:

  • Hidratem-se ao longo do dia (não esqueçam de levar garrafinha de água. Água de coco e isotônicos também são uma boa opção. E atenção: neste caso, cerveja NÃO SERVE! Aliás, as bebidas alcoólicas desidratam; apreciem mas sempre com moderação e não se esqueçam de se reidratarem)
  • Levem com vocês lanchinhos leves (barrinha de cereal, por exemplo)
  • Usem fantasias confortáveis
  • Se forem ficar na rua durante o dia, não esqueçam de usar do filtro solar

Outras coisas importantes de lembrar:

Depois da folia, não é incomum o aparecimento de estomatites (isto é, infecções na boca) em quem aproveitou o carnaval. Não negligenciem as pequenas lesões de boca, mesmo que indolores! Se for o caso, procurem um médico.

Lembrem-se: doenças sexualmente transmissíveis ainda são uma realidade em nosso país. Aproveitem a folia com segurança. Protejam-se!

O mais importante de tudo: carnaval é alegria! Não se envolvam em brigas e discussões, tentem sempre contornar os problemas que eventualmente possam surgir na folia! :)

Curtem e aproveitem o carnaval com segurança! Bom divertimento!

19/02/2020

Otite externa no verão

Mais alguns cuidados para o verão!

O contato intenso com água, como de piscina e mar, pode mesmo levar a um quadro de otite?

A resposta é SIM. O acúmulo de água dentro do canal do ouvido pode causar um desequilíbrio das bactérias que já existem lá (e que geralmente vivem em harmonia conosco) e causar uma infecção da pele do canal do ouvido.

Essa infecção, chamada de OTITE EXTERNA, tem forte relação com contato com água, mas pode também ser ocasionada por manipulação do canal do ouvido por hastes flexíveis, dedos/unhas e outros objetos (tampa de caneta, grampos!).

Geralmente a dor da otite externa é forte, podendo ou não ser acompanhada de secreção, febre e, geralmente, tem um inchaço e vermelhidão do canal do ouvido.

Nesses casos, não deixe de procurar seu otorrinolaringologista!

17/02/2020

Tablet/Celulares e Crianças

Com essa revolução tecnológica, os pequenos praticamente já nascem com um tablet ou smartphone só seu, né? Cada vez mais crianças estão usando smartphones antes mesmo de terem aquisição de fala ou aprenderem a ter interação social.

Isso não é bom! Mesmo com toda a tecnologia envolvida e com milhões de vídeos e desenhos educativos existentes, o excesso de uso de celulares e tablets interfere SIM no desenvolvimento da criança, principalmente na aquisição de fala e linguagem.

Opte por brincadeiras com participação alternada, envolvendo o perguntar e responder. Isso ajuda a ela entender aos poucos como é a dinâmica da comunicação.

Brinque com a criança com brinquedos lúdicos, de encaixe, de madeira, coloridos; permita que ela faça tentativas, erre, acerte, tente de novo; converse com ela, diga o que ela está fazendo. Pergunte algo e espere que a criança processe a informação e responda.

Brinquem de desenhar, com lápis, giz de cera, goache. Pintem com os dedos.

Troque o desenho no tablet à noite por uma leiturinha com o papai e a mamãe. A leitura é uma importante ferramenta para a aquisição de linguagem. E, mais que isso... Fortalece os vínculos familiares!!

Pais: atentem-se aos limites dos aparelhos eletrônicos! Não deixe de realizar as consultas periódicas com o pediatra de seu filho. Na dúvida, solicite um encaminhamento para o otorrinolaringologista!

10/02/2020

Deficiência auditiva na infância

A audição é essencial para o desenvolvimento da comunicação social da criança, da aquisição da fala e aprendizado. É um sentido tão importante que o Teste da Orelhinha é obrigatório em todo o recém-nascido nas primeiras 48 horas de vida. Quando há alguma alteração, é importantíssimo uma investigação mais aprofundada para tentar um tratamento e reabilitação o mais breve possível.

Entre alguns dos fatores de risco para perda auditiva na infância estão:

  • História familiar de deficiência auditiva;
  • História de prematuridade ou baixo peso ao nascimento;
  • História de internação em UTI após nascimento (o risco aumenta se o paciente ficou intubado ou se fez uso de alguns antibióticos);
  • Infecções (rubéola, citomegalovírus, sífilis, toxoplasmose) na gestação ou perinatais (isto é, logo após o nascimento);
  • Algumas infecções na infância como sarampo ou meningite;
  • História de consanguinidade entre os pais da criança (ex: se os pais são primos entre si);
  • Algumas síndromes genéticas (Usher, Waardenburg, Alport, entre outras) e algumas más formações craniomaxilofaciais que podem cursar com perda auditiva;
  • Ocorrência de traumatismo crânio encefálico;
  • Uso de quimioterapia.
  • Mães: não deixem de realizar o pré natal direitinho!

    Apesar dessas orientações, nada substitui a consulta médica! Procure seu otorrinolaringologista!

    03/02/2020

Cerume e piscina/mar

Quem nunca ficou com o ouvido meio tampado depois de mergulhar numa piscina ou no mar?

Já falamos em outro post que o que limpa, lubrifica e protege o ouvido é a própria cera que ele produz. Quando fazemos um "TCHIBUM" na piscina, essa cera pode movimentar um pouco e ocupar todo o conduto. Mais que isso, o canal do ouvido pode começar a produzir mais cera para lubrificar e proteger o ouvido (afinal, não é para ter água dentro dele, né?).

Então temos aquela sensação de ouvido tampado, coceira, zumbido.

Você já sabe o que NÃO PODE FAZER nessas horas né? Já falamos que o uso de hastes flexíveis NÃO é a solução rs.

Quem aqui já precisou lavar a cera do ouvido depois de passar as férias inteirinhas no mar ou na piscina?

29/01/2020

Você range o dente?

Alguém já dormiu perto de alguém que range o dente à noite? É desesperador, não é?

O ato de ranger os dentes acaba forçando a articulação da mandíbula e cria uma inflamação.

Com o tempo, essa articulação vai ficando com sua função afetada (criando uma disfunção), podendo levar a uma série de problemas como desgaste dos dentes, aumento/inchaço das bochechas, mordida cruzada, abertura oral dolorosa, dor de cabeça/face/pescoço/ombros/ouvido.

Muitas vezes o quadro de dor é confundido como uma sinusite ou otite pela proximidade da articulação da mandíbula com o ouvido e seios da face, mas a causa é outra e necessita de investigação, diagnóstico e tratamento correto.

Nesses casos, o acompanhamento conjunto com dentista/bucomaxilo é fundamental!

23/01/2020

Zumbido

O zumbido é uma ilusão auditiva que interfere muito na qualidade de vida do paciente por ser na maioria das vezes irritante.

Muitos têm relação com associação a perdas auditivas, mas podem também estar relacionados com distúrbios metabólicos (alterações do metabolismo do açúcar e dos lipídeos), alterações hormonais, alterações de pressão e até fatores emocionais podem estar envolvidos.

O zumbido é um sintoma, não uma doença propriamente dita e, por isso, é importante investigar e tratar a sua causa.

Você tem zumbido? Deixe seu comentário após o piiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii.

03/12/2019

Amigdala Grande

Ter a amigdala grande apenas, sem nenhuma queixa associada, não é indicação de sua retirada.

Dentre as indicações de cirurgia de amigdalas estão incluídas as infecções bacterianas de repetição (que não melhoram após o tratamento clínico) ou a persistência de roncos noturnos, de respiração oral durante o dia e/ou à noite, de sono inquieto mesmo realizando tratamento nasal adequadamente (pois às vezes a obstrução vem do próprio nariz e não das amígdalas).

Por isso é importante fazer um tratamento clínico para ver o quanto que de fato a amígdala obstrui a respiração do paciente antes da indicação cirúrgica.

Apesar dessas orientações, nada substitui a consulta médica! Procure seu otorrinolaringologista!

27/11/2019

Qual o melhor pet para quem é alérgico?

Do ponto de vista de alérgenos (isto é, substâncias que desencadeiam reações alérgicas no nosso organismo), animais de pelo ou penas não combinam com pacientes alérgicos. Para a saúde do alérgico (e do bichinho!!) é importante mantê-lo sempre muito bem escovado e limpo.

Cortar o pelo mais curtinho ou usar roupinhas também ajuda no controle da perda de pelo do animal (controlando o fator alérgico).

Se possível, evite a permanência dos bichinhos dentro do quarto (onde o alérgico vai passar boa parte do tempo).

A melhor opção de pets para pacientes alérgicos é um peixinho ou uma tartaruga.

A única coisa que não pode DE JEITO NENHUM é se desfazer do seu melhor amigo peludo só por você ser alérgico!! :)

Além dessas recomendações, o acompanhamento com otorrino é fundamental!

05/11/2019

Orelhas Proeminentes

Ter orelhas proeminentes pode criar um impacto social importante na vida do paciente, ser motivo de bullying na escola ou no trabalho. Quando isso acontece e o paciente começa a se incomodar com essa característica é o momento de considerar a realização da otoplastia (a cirurgia para correção de orelha proeminente, ou orelha de "abano").

É uma cirurgia relativamente simples que remove o excesso de cartilagem e reestrutura o formato da orelha. Em adultos é perfeitamente possível realizar com anestesia local e sedação, em crianças pequenas o mais recomendado é fazer com anestesia geral.

Você se incomoda com o formato das suas orelhas? Fale com seu otorrinolaringologista e tire suas dúvidas!

28/10/2019

Nasofibrolaringoscopia

N-A-S-O-F-I-B-R-O-L-A-R-I-N-G-O-S-C-O-P-I-A é o nome do exame para ver dentro do nariz e da garganta.

Ele ajuda no diagnóstico de várias doenças nasais (se há polipose nasal, desvio de septo nasal, tumores nasais, rinite), otológicas (no fundo do nariz, dá para ver a abertura do tubo que conecta o ouvido ao nariz, chamada tuba auditiva, então é possível ver se há algum problema com a drenagem e ventilação do ouvido), faríngeas (se há aumento de adenoide ou amigdalas) e laríngeas (se há alterações nas cordas vocais e na região próxima).

É indispensável na avaliação otorrinolaringológica!

O exame é indolor (ok ok... ele é meio chatinho de se fazer... mas não é doloroso) e rápido. Pode (e algumas vezes DEVE) ser feito em crianças desde o nascimento (se muito pequenas, elas não vão gostar muito porque não vão entender o que está acontecendo, é normal as crianças chorarem um pouquinho, não se assustem).

E você? Você já precisou fazer uma naso?

23/10/2019

Dia do Médico

"Docere" vem do latim e significa "ensinar". Daí vem, da antiguidade, a origem da palavra "docência" e "doutor".

Dia 15 de outubro é comemorado o dia dos professores.

Dia 18 de outubro é comemorado o dia do médico.

Parabéns a todos os colegas de profissão exercem essa profissão com amor, competência e respeito, em especial aos meus professores da graduação e residência que me ensinaram que mais que cuidar de um ouvido/nariz/garganta, é preciso cuidar de algo muito maior: nosso paciente como um todo.

Coloco uma frase de Carl Jung que, para mim, resume a importância e beleza de nossa profissão:

"Conheça todas as teorias,
domine todas as técnicas,
mas ao tocar em uma alma humana
seja apenas outra alma humana".

Feliz dia do médico!!

18/10/2019

Dr, eu tenho carne esponjosa??

"Carne esponjosa" é um termo genérico que pode se atribuir a diversas estruturas de consistência mais amolecida. Às vezes é usado como sinônimo de adenoide (que é um tecido linfático que fica atrás do nariz), de conchas nasais ou cornetos (aquelas bolinhas na lateral do nariz, que você consegue ver no espelho se levantar a ponta do nariz) ou de pólipos nasais (que é o crescimento anormal da mucosa do nariz e dos seios paranasais).

Mas não existe uma estrutura ou alteração chamada "carne esponjosa". Cabe ao médico explicar ao paciente de qual estrutura ele está falando (adenoide, conchas nasais, pólipos nasais etc) e que essa estrutura pode ter, sim, uma consistência mais "esponjosa".

Alguma vez já te falaram que você tem "carne esponjosa" e ficou com isso na cabeça? Tire suas dúvidas com seu otorrinolaringologista!

14/10/2019

Lavagem Nasal

A lavagem nasal pode e deve ser realizada com frequência, principalmente em paciente alérgicos, em quadros de infecção das vias aéreas superiores e em pós operatórios nasais. A lavagem faz uma limpeza mecânica da secreção além de tirar vírus, bactéria e alérgenos (pólen, pó, ácaros etc) da mucosa do nariz, preparando a mucosa nasal para receber o tratamento com spray nasal.

É importante jogar sempre um volume grande, com pressão baixa.

Cada paciente com o tempo desenvolve o jeito próprio de lavar o nariz. Eu costumo recomendar da seguinte forma:

  • Estique a cabeça um pouquinho para frente na pia.
  • Aqueça o soro fisiológico 0,9% (ou água filtrada) até ficar em temperatura de banho (não muito quente nem muito frio).
  • Segure a seringa de 20ml na horizontal, apontada para o fundo do nariz (para ajudar, apoie o biquinho da seringa na parte de cima da narina).
  • Prenda o ar, como se fosse mergulhar numa piscina.
  • Com a outra mão, empurre o êmbolo de forma contínua. Não precisa ser muito forte, mas precisa sentir o volume de soro fisiológico 0,9% (ou água filtrada) entrar por uma narina e passar para a outra.
  • (Veja que as 2 mãos seguram a seringa, como se você fosse tocar uma flauta pelo nariz. Isso ajuda no começo, pois a tendência é você afastar a seringa do nariz).
  • Quando sentir que o soro passou pela outra narina, recupere-se, assoe o nariz. Dê um tempinho para você.
  • Repita do outro lado.

Parece complicado, né? Mas com o tempo você pega o jeito!

Além dessas recomendações, o acompanhamento com otorrino é fundamental!

09/10/2019

Setembro Azul

Já falamos da campanha de #SetembroAmarelo como prevenção de suicídio.

Existe também a campanha #SetembroAzul que é a luta para a inclusão dos surdos e do reconhecimento da língua brasileira de sinais como língua oficial.

Nesse mês comemoramos:

  • Dia 10 de setembro: dia Mundial da Linguagem de Sinais
  • Dia 21 de setembro: dia Nacional da Luta da Pessoa com Deficiência
  • Dia 26 de setembro: dia Nacional dos Surdos
  • Dia 30 de setembro: dia Internacional dos Surdos

Pela inclusão social desses pacientes!

30/09/2019

Dr, meu filho não fala

Infelizmente, muitas vezes o diagnóstico de crianças com atraso no desenvolvimento de fala e linguagem é tardio, atrasando também a intervenção nesses casos.

É normal não falar com 2 anos de idade? Depende de cada caso... Uma criança de até 2 anos que ainda não fala pode tanto estar passando por uma etapa perfeitamente normal e dentro do ritmo de desenvolvimento de fala e linguagem, mas também pode ser sinal de um quadro que requer diagnóstico e tratamento/intervenção precoce.

Transtornos no metabolismo no açúcar (diabetes, resistência insulínica) e de gorduras (problemas de colesterol) podem se manifestar como tontura, alterações hormonais (hipotireoidismo) podem se manifestar como tontura, hipoglicemia também pode se manifestar como tontura (quem nunca ficou meio tonto quando ficou muito tempo em jejum?).

Pais, fiquem de olho! Não deixe de realizar as consultas periódicas com o pediatra de seu filho. Na dúvida, solicite um encaminhamento para o otorrinolaringologista!

23/09/2019

Tenho "Labirintite"

Muita gente que tem tontura relaciona-a com quadro de labirintite. Mas tontura e labirintite não são a mesma coisa!

Na verdade, a labirintite é uma inflamação do labirinto (órgão responsável pelo equilíbrio), geralmente por causas infecciosas, enquanto que outras tonturas podem estar relacionadas apenas com um mau funcionamento desse órgão (às vezes ele fica meio atrapalhado... Coitado!).

Transtornos no metabolismo no açúcar (diabetes, resistência insulínica) e de gorduras (problemas de colesterol) podem se manifestar como tontura, alterações hormonais (hipotireoidismo) podem se manifestar como tontura, hipoglicemia também pode se manifestar como tontura (quem nunca ficou meio tonto quando ficou muito tempo em jejum?).

Levantar muito rápido? Também pode dar uma tonturinha.

Você também tem tontura? Não deixe de investigar com o seu otorrinolaringologista!

18/09/2019

Setembro Amarelo

Setembro amarelo é a campanha nacional de prevenção ao suicídio.

Você não está só. Procure ajuda! Não desista.

Não julguem.

Centro de Valorização da Vida (CVV) ligue 188, válido em todo o território nacional, com apoio para quem precisa falar com alguém quando não vê mais solução.

10/09/2019

O refluxo laringofaringeo

O refluxo gastroesofágico ocorre quando o conteúdo do estômago, ao invés de seguir o fluxo natural pelo aparelho digestório, retorna pelo esôfago.

Se esse conteúdo ultrapassar o nível superior do esôfago pode acometer as estruturas próximas a ele, como a faringe e a laringe, causando uma inflamação local, por isso o nome refluxo laringofaringeo.

Alguns dos sintomas sugestivos de refluxo laringofaríngeo são:

  • Sensação de "bola" presa na garganta
  • Pigarro constante
  • Tosse seca que não passa
  • Sensação de gosto ruim na boca
  • Rouquidão eventual
  • Sensação de sufocamento a noite

Você tem alguns desses sintomas? Procure seu otorrinolaringologista!

13/08/2019

Você usa o spray nasal corretamente?

Você sabia que existe um jeito certo de aplicar o corticóide nasal?

Primeiro faça a higiene nasal com soro fisiológico 0,9% para retirar o muco e a secreção do nariz e deixar a mucosa bem limpinha para receber o produto.

Agite o frasco delicadamente e retire a tampinha, segurando o frasco na posição vertical.

Com a cabeça inclinada um pouquinho para frente, coloque a ponta do aplicador em uma das narinas apontando para o lado externo da narina (não aponte para o meio do nariz pois poderá machucar o septo do nariz).

Pressione a válvula. Repita o mesmo do outro lado.

Fácil, não?

Não deixe de seguir o acompanhamento com seu otorrino!

07/08/2019

Julho Verde: Tratamento dos Cânceres de Cabeça e Pescoço

O tratamento dos cânceres de cabeça e pescoço inclui o tratamento cirúrgico, podendo ou não estar associado à radioterapia e/ou quimioterapia.

A escolha da cirurgia e sua associação ou não à radio/quimio vai depender de uma série de circunstâncias como:

  • A localização do tumor
  • O estadio da doença (ou seja, se a mesma é localizada numa região ou órgão ou sistêmica, quando já acomete outras regiões vizinhas ou à distância)
  • A condição clínica do paciente

Muitas vezes as cirurgias são grandes, levando a mudanças igualmente grandes na deglutição (capacidade de engolir), respiração, alimentação, fonação/vocalização. Por isso, também faz parte do tratamento o acompanhamento com uma equipe multidisciplinar de nutrição, fonoaudiologia e psicologia.

É essencial dar todo o suporte para o paciente. O sucesso do tratamento não se limita em eliminar seu tumor, mas em dar mecanismos de reabilitação e fornecer apoio emocional para seu paciente!

31/07/2019

Julho Verde: Cigarro como Principal Vilão

Ainda sobre Julho Verde e a conscientização do câncer de cabeça e pescoço.

Geralmente a doença começa com uma "feridinha" que não cicatriza, "sem importância". O tempo passa, a lesão aumenta, outros sintomas começam a aparecer e, só então, há a procura do especialista. Nesse momento, porém, o que era uma "feridinha" se tornou uma lesão em estágio avançado, dificultando o tratamento e reduzindo as possibilidades de cura.

No Brasil, o cigarro é o pior fator de risco para o desenvolvimento de câncer de cabeça e pescoço, principalmente quando associado ao abuso de álcool. A má higiene oral também está fortemente ligada com a ocorrência de câncer de boca em nosso país.

Manter a higiene oral e fazer visitas regulares ao dentista é importantíssimo! Muitas vezes são esses profissionais que conseguem observar alguma lesão ainda em fase inicial.

Lembrando que quanto mais precoce a identificação da lesão, melhor é o tratamento.

Já sabem: feridinha que não melhora após 2-3 semanas, procure seu médico!

28/07/2019

Julho Verde: HPV e outros Fatores de Risco

Mais um post sobre o Julho Verde.

É intuitivo pensar que cigarro e uso abusivo do álcool são fatores de risco para câncer de cabeça e pescoço, mas não são os únicos.

Outros fatores de risco são:

  • Vírus, principalmente o HPV (relacionado aos tumores de faringe)
  • Consumo abusivo de nitrosaminas, encontrados em alimentos embutidos e enlatados (relacionado a câncer não apenas de cabeça e pescoço, mas de todo o aparelho digestivo)
  • Exposição a luz utravioleta sem a devida proteção (com destaque ao tumor de lábio e pele)

Tumores de faringe e orofaringe (a garganta) têm muita relação com o vírus HPV (sim! Aquele vírus que pode estar relacionado ao câncer de colo de útero). Vemos forte associação de sua incidência relacionado a comportamentos sexuais de risco (como sexo oral desprotegido com múltiplos parceiros(as)).

Por isso orientamos a proteção durante qualquer prática sexual.

Além disso, é essencial a vacinação contra os principais vírus do HPV, principalmente nas crianças!

23/07/2019

Vacine-se Contra o Sarampo

Estamos com uma epidemia de sarampo no Brasil! Segundo dados do Ministério da Saúde, foram quase 500 casos confirmados em 2019, 82% só no Estado de São Paulo; 810 casos seguem em investigação.

O sarampo é uma doença muito contagiosa. Sua infecção pode causar desde um quadro febril acompanhado de tosse, coriza, irritação ocular e vermelhidão em pele e mucosas até quadros mais graves de pneumonia, surdez, prematuridade, baixo peso ao nascer e até levar a morte, principalmente em crianças.


A vacina contra o sarampo é altamente eficaz, sendo a melhor maneira de prevenção.

São 2 vacinas oferecidas pelo SUS: a tríplice viral (que protege também contra caxumba e rubéola) e a tetra viral (que, além dessas, protege também contra varicela).

São 2 doses para se ter a imunização: a primeira dose da vacina deve ser realizada aos 12 meses de idade com a tríplice viral, a segunda é aos 15 meses com a vacina tetra viral (correspondendo à segunda dose da tríplice e a primeira dose da varicela).

Mas atenção! Gestantes e imunossuprimidos (como HIV por exemplo) não podem tomar a vacina. E meninas: caso você esteja tentando engravidar, espere pelo menos 1 mês após a vacinação!

Não deixe de se proteger e proteger a quem você ama contra o sarampo! Vacinem-se!

18/07/2019

Julho Verde

Quando falamos em câncer de cabeça e pescoço incluímos os cânceres de boca e cavidade oral, lábios, língua, orofaringe (garganta), seios paranasais, faringe, laringe, tireóide, esôfago, glândulas salivares, para citar alguns.

Esse alerta é muito importante pois trata-se de um câncer pouco divulgado e ao chegar no consultório, infelizmente, já está em estágios avançados. Por isso a importância do Julho Verde na conscientização no câncer de cabeça e pescoço.


A detecção precoce é essencial para o diagnóstico e tratamento rápidos. Sinal de alerta ligado caso percebam:

  • Nodulações no pescoço
  • Feridas que não cicatrizam após 3 semanas em pele e mucosa
  • Rouquidão, dificuldade e dor para engolir há mais de 3 semanas, sem melhora e de caráter progressivo
  • Perda de peso rápida e significativa aparentemente sem relação com alimentação
  • Falta de ar ou dificuldade para respirar
15/07/2019

A Rinite e o Inverno

Esse ano demorou... mas o inverno chegou! E só de pensar o nariz já começa a coçar e escorrer.

Se você é alérgico, não se esqueça de colocar aquela roupa de frio que estava guardada há meses para lavar antes de usar.

Deixar a porta dos guarda roupas abertas durante o dia ajuda, assim a luz do sol e a ventilação dão uma diminuída nos ácaros!

A roupa de cama precisa ser trocada a cada 5 dias. E nada de cobertor fofinho e peludinho! Prefira um edredom ou algum material sintético.


E não esquece de dar aquela passadinha no seu otorrino para acompanhamento!

08/07/2019

Hastes Flexíveis

Se você é daqueles que adora "limpar" o ouvido com hastes flexíveis (conhecido popularmente por "cotonete"), pode parar de usar já! Por mais estranho que pareça, o que limpa, lubrifica e protege o ouvido... é a própria cera que ele produz!

Ao utilizar as hastes, acabamos tirando essa camada de proteção ou então empurramos a cera para dentro do ouvido. Quanto mais usamos, mais o algodão da haste resseca a cera, sendo mais difícil a sua eliminação natural. Nesses casos, temos aquela sensação de ouvido tampado, coceira, zumbido.

Além disso, o uso das hastes pode machucar a pele do ouvido e criar um problema maior. Abandone esse hábito e procure seu otorrino!

01/07/2019